SOL E NEVE
PIT STOP
ASAS MOTOPEÇAS

Capoeirista de Leopoldina entra para a lista dos oito melhores do mundo nos Jogos Mundiais da Escola ABADÁ-Capoeira


LEOPOLDINA

A 11ª edição do evento foi realizada no Rio de Janeiro.

Da Redação
Jornal O Vigilante Online

 Ele tem nome de cantor, mas faz sucesso como educador na arte da Capoeira. Júlio Iglesias Gomes Lizardo (foto), mais conhecido pelo apelido “Teteti”, vive profissionalmente da Capoeira. Morador do bairro Imperador, em Leopoldina, Teteti tem 33 anos de idade, é integrante da Escola Abadá-Capoeira – Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte-Capoeira, e conta com o apoio do graduado Carlão e a supervisão de Rogério Silva, o Mestre Morcego, do Rio de Janeiro, de quem é aluno direto.

Em entrevista ao jornal O Vigilante Online, Teteti explicou que a Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte-Capoeira (Abadá-Capoeira), foi fundada por José Tadeu Carneiro Cardoso, o “Mestre Camisa” e é responsável pela filiação de dezenas de milhares de capoeiristas em todos os estados brasileiros, presente também em mais de 60 países em cinco continentes e é a única escola de capoeira do mundo reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). “Cada estado tem seus coordenadores. Em Minas Gerais a coordenação é do Mestre Cobra, do Rio de Janeiro, e Mestrando Montanha, de Santa Catarina”, esclareceu Teteti.

Teteti conheceu a arte há 22 anos, levado pelo amigo William (Kikinho). Seus primeiros professores foram Dim e Alan, na Academia Corpo e Forma.

Recentemente, entre os dias 24 e 27 de agosto, Teteti participou no Rio de Janeiro, dos Jogos Mundiais da Escola Abadá Capoeira, já em sua décima primeira edição. As seletivas foram realizadas no Centro de treinamento mestre bimba, em Cachoeiras de Macacu, e as finais na Escola Nacional do Circo, na capital fluminense. Teteti ficou entre os oito melhores do mundo na categoria Verde e Verde Roxa, no peso Viola. “Estou muito feliz com esse resultado, pois é um sonho realizado. Criei-me na zona rural, onde trabalhei muito (trabalho braçal). Andava muitas vezes a pé para praticar a arte Capoeira. Foi assim durante muitos anos, mas nunca perdi o foco da nossa arte Capoeira”, detalhou Tetéti, afirmando que com garra e coragem um sonho de menino se tornou realidade.

O Educador faz questão de mencionar o grande apoio, incentivo e oportunidade que recebeu da senhora Elza Gama Peres – Presidente da APIL, que lhe abriu as portas para o trabalho, apresentando-o no Colégio Imaculada Conceição (CIC) à então diretoria Vânia Junqueira Pimentel e à Representante Legal daquela instituição, Olinda Cabral Gesualdo. Desde então, seu trabalho prossegue no CIC, agora sob a direção da senhora Conceição Zambrano.

Atualmente, Teteti desenvolve alguns trabalhos da arte Capoeira em Leopoldina, dentre eles no colégio Imaculada Conceição, Clube do Moinho, Centro Educacional Casinha de Brinquedo, CAIC, Escola municipal Ribeiro Junqueira, além de uma parceria com o Grupo Pérola Negra. “Temos nossa academia no bairro Bela Vista, localizada na Avenida Expedicionários, número 580”, contou Teteti, destacando o trabalho social que desenvolve no Salão da Igreja Adventista do Sétimo Dia, na Avenida Getúlio Vargas. “Também temos alguns alunos bolsistas em nossa academia e na Centro Educacional Infantil Aquarela”, acrescentou, mencionando que também trabalha com a arte Capoeira no programa do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.

Ao final da entrevista, Teteti agradeceu aos seus apoiadores: Academia estação do Corpo, a senhora Elza Gama Peres – Presidente da APIL, Empório Nutrição, a Secretária Municipal de Cultura, Jussara de Almeida Tomaz, e em especial ao apoio dos pais e alunos.

Professora Gigi, Mestra Márcia de Nova York, Teteti ao lado do fuzileiro naval Mestre Morcego – que o levou até a condição de oitavo melhor capoeirista da sua escola Abadá Capoeira, e Mestre Canguru, do Rio de Janeiro.
Teteti e o Mestre Camisa, presidente e fundador da Escola Abadá-Capoeira.
Mestre Camisa, presidente e fundador da Escola Abadá-Capoeira, com os alunos participantes do aulão de Copacabana.

Mais Notícias