HORIZONTAL – TOP BANNNER SOL E NEVE, ASAS MOTOPEÇAS & FADECIT
HORIZONTAL – TOP BANNNER SOL E NEVE, ASAS MOTOPEÇAS & FADECIT
HORIZONTAL – TOP BANNNER SOL E NEVE, ASAS MOTOPEÇAS & FADECIT

Concluída no Fórum de Leopoldina a audiência de instrução e julgamento dos 21 réus da Operação Tirésias 6

Concluída no Fórum de Leopoldina a audiência de instrução e julgamento dos 21 réus da Operação Tirésias 6

Reportagem: Júlio Cesar Martins

A operação “Tirésias 6” foi deflagrada em outubro do ano passado pela Delegacia de Homicídios de Leopoldina.

  Após os interrogatórios dos 21 indiciados na operação “Tirésias 6”, foi encerrada no final da tarde desta quinta-feira, 20 de abril, a audiência de instrução e julgamento iniciada na manhã de quarta-feira, dia 19, no Fórum Dr. José Gomes Domingues, em Leopoldina. A audiência, presidida pela Juíza Elisa Eumenia Mattos Machado Penido, contou com a participação da Promotora de Justiça Dra. Lúcia Helena Dantas da Costa, representando o Ministério Público, e dos advogados de Defesa dos réus. No dia anterior foram ouvidas todas as testemunhas do caso.

   Durante a audiência desta quinta-feira, foi concedida a prisão domiciliar para quatro mulheres, com filhos menores de 12 anos, seguindo uma decisão do Tribunal. Para outras duas mulheres o Ministério Público manifestou também pela liberdade provisória, com fixação de cautelares. De acordo com as informações obtidas pela reportagem, o mérito não foi analisado nesta audiência, o que ocorrerá somente na sentença. A Juíza Dra. Elisa (foto), considera que os trabalhos transcorreram em um clima muito bom, e esclareceu que ainda estão sendo aguardadas duas cartas precatórias com os depoimentos de familiares da vítima de homicídio.

A operação “Tirésias 6” foi deflagrada em outubro do ano passado pela Delegacia de Homicídios de Leopoldina, quando foram cumpridos pela Polícia Civil 24 mandados de prisão, 5 deles por homicídio e 19 por tráfico de drogas.

Durante a quinta-feira, dezenas de pessoas marcaram presença do lado de fora do Fórum, dentre elas familiares dos réus, na tentativa de ver seus parentes ou amigos, nem que fosse de longe. Às 18h20 o comboio deixou o Fórum com destino ao presídio de Leopoldina, de onde os presos retornarão para os presídios de origem.

      Segundo o Diretor Geral do Presídio de Leopoldina, Valdinei Nunes Mariano (foto), tudo transcorreu perfeitamente durante os dois dias de audiência. “Houve integração entre as forças policiais, todos os perímetros que poderiam trazer qualquer intercorrência foram fechados, enfim, a estrutura foi bem organizada”, destacou, mencionando o apoio recebido do Comando de Operações Especiais (COPE), cujas equipes coordenadas pelo agente penitenciário Luiz Carlos Vieira, trouxeram um dos réus do complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Valdinei enalteceu as Polícias Civil e Militar, cujo trabalho bem articulado garantiu a segurança interna e externa do Fórum durante a realização da audiência. O diretor do Presídio agradeceu a todos os agentes penitenciários que participaram da operação e também ao Juiz de Direito Dr. Gustavo Vargas de Mendonça, interinamente Diretor do Fórum, que prestou todo apoio durante os dois dias de realização da audiência.

As Polícias Militar e Civil atuaram no perímetro, tanto no controle do trânsito quanto na segurança no interior do Fórum. As equipes da Polícia Militar foram comandadas pelo Tenente Getúlio Carlos Rabelo, Comandante do 1º Pelotão da 6ª Cia PM Ind. O Inspetor Antônio Carlos Silveira, da 3ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Leopoldina, comandou o trabalho dos Investigadores da Polícia Civil.

Para o Tenente Coronel Caputo, do Centro de Segurança Institucional do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que veio a Leopoldina para coordenar a questão da segurança em razão desta audiência envolvendo 21 réus e mais de 60 testemunhas, foi feito todo um planejamento de segurança para assegurar que os trabalhos transcorressem sem alteração. “Houve um controle de acesso, o que é importante, e os trabalhos transcorreram de forma normal, sem nenhum incidente no que se refere à segurança”, observou o Tenente Coronel Caputo, que atua em todo o Estado na organização de eventos como o realizado em Leopoldina, de maneira integrada com a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. Ele estava em companhia do Sargento Cantadini, também do Centro de Segurança Institucional do TJMG.

O VIGILANTE ONLINE