SOL E NEVE
PIT STOP
ASAS MOTOPEÇAS

Escritor da cidade de Volta Grande fala sobre seu livro “Sinapses Poéticas”


Da Redação
O VIGILANTE ONLINE

Segundo colocado no concurso de poesias “Eu sou o Samba”, com a obra “Morro em Samba”, Francisco José Monteiro Junqueira Neto, 29 anos, casado, fundador e editor-chefe do jornal A Voz do Povo, da cidade de Volta Grande, presidente da Associação Comunitária Antônio Amorim Quintão e da Comunitária Rádio Cidade 104,9 FM de Volta Grande, lançou livro de sua autoria intitulado “Sinapses Poéticas”. Em depoimento ao jornal O Vigilante Online, Francisco comentou sobre seu trabalho como escritor, revelando que já trabalha em dois outros livros.

“O concurso “Eu sou o Samba” foi promovido em 2016 pela Litteris Editora, do Rio de Janeiro e reuniu mais de 10 mil inscritos, contando no júri com a participação da atual Secretária de Cultura do Rio de Janeiro, Nilcemar Nogueira, neta de Cartola”, adiantou Francisco. A respeito do livro “Sinapses Poéticas”, cujo processo de edição teve início em meados de janeiro deste ano, o autor explicou que o lançamento da obra ocorreu no dia 25 de março, no Museu de História e Ciências Naturais de Além Paraíba, sua cidade natal.

Francisco Monteiro Junqueira e Marlene Moraes Junqueira durante lançamento do livro “Sinapses Poéticas”.

 “O trabalho com as poesias do livro ‘Sinapses Poéticas’ começou quando ainda estava morando em São Paulo, nos anos de 2014 e 2015, no auge da minha dependência química, que me levou para as profundezas da dor, do desespero, da vontade, do desejo de viver e de ser feliz. Tentava de tudo para fugir de minha doença. Vivi longos anos de busca. Conheci Simone, minha esposa, que em muito contribui para que eu, hoje, possa afirmar que estou no caminho certo. Em novembro de 2016 enviei cerca de cinco emails para editoras e quatro delas aprovaram o trabalho. Eu não acreditei… Sempre foi um sonho trabalhar com as palavras e é bom sentir que o caminho foi apresentado e já estou trabalhando em outros dois livros. Assinei contrato com a Editora Multifoco, do Rio de Janeiro”, disse o autor.

 A respeito da sua inspiração na hora de compor, Francisco contou que ela não hora nem lugar: “Naqueles momentos em que algo parece estar fora do eixo ou quando tudo está muito bem, seja emocionalmente, na política, no meio ambiente, enfim, não sei o quê, mas tem alguma coisa que me faz querer escrever sobre aquilo. A poesia é a transliteração de minh’alma”, declarou.

Aos leitores interessados em ler sua obra, Francisco afirmou que se sentiria muito feliz e grato por compartilhar suas poesias com os leitores da região. “Na obra Sinapses Poéticas produzi poesias sobre meu conterrâneo, o cineasta Humberto Mauro, o rio que corta a cidade e meu desejo de vê-lo bonito novamente, o Amor, a Dor, o Egoísmo, a Minha Metamorfose e, meu heterônimo Augusto da Mata conta sobre a vida simples na roça, o cotidiano da cidade interiorana mineira”, acrescentando que os interessados em adquirir o livro e conhecerem suas poesias basta entrar no site da editora.

Sarau Cultural

No dia 26 de junho, às 19h00, Francisco José Monteiro Junqueira participará como convidado especial do I Sarau Cultural 2017 da Escola Estadual Marco Aurélio Monteiro de Barros, do distrito de Providência, em Leopoldina. Durante o evento, que será realizado na quadra da escola, haverá atrações musicais, recital de poesia e dança.

O VIGILANTE ONLINE

Mais Notícias