HORIZONTAL – TOP BANNNER SOL E NEVE, ASAS MOTOPEÇAS & FADECIT
HORIZONTAL – TOP BANNNER SOL E NEVE, ASAS MOTOPEÇAS & FADECIT
HORIZONTAL – TOP BANNNER SOL E NEVE, ASAS MOTOPEÇAS & FADECIT

Nível do manancial que abastece Leopoldina preocupa leitores


LEOPOLDINA


Da Redação
Jornal O Vigilante Online

O nível do manancial de onde é captada água para o abastecimento em Leopoldina está muito abaixo do normal. A Reportagem do Jornal O Vigilante Online esteve nesta quarta-feira (20) no reservatório onde é captada a água do rio Pirapetinga, que abastece Leopoldina. A visita foi acompanha por um leitor que alertou para o baixo nível de vasão de água naquele local.

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), responsável pelo abastecimento de água na cidade, possui uma estrutura de reservação instalada em sua sede que é suficiente para um procedimento normal de abastecimento do dia a dia. De acordo com as informações, a empresa realiza normalmente uma captação de aproximadamente 154 litros de água por segundo, porém, devido a falta de chuvas esse índice já teria se reduzido para aproximadamente 145 litros por segundo, o que é preocupante. Ainda segundo o levantamento de informações apuradas pela Reportagem, os dois reservatórios existentes no pátio da Estação de Tratamento de Água (ETA) da Copasa, não conseguiriam suprir o abastecimento se a vazão chegar a menos de 120 litros por segundo. Quanto ao risco do desabastecimento em Leopoldina, a redação entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Copasa e aguarda retorno.

Nesta terça-feira, 19 de setembro, a Copasa adicionou os municípios de Astolfo Dutra e Visconde do Rio Branco no plano de racionamento de água. Segundo a Companhia, o racionamento ocorre em razão da redução dos níveis de captação de água nos mananciais que abastecem as duas cidades. A cidade de Ubá também está nesta mesma situação.

No período de seca pode-se perceber que o consumo de água aumenta de uma forma acentuada, assim como há um desperdício exagerado. A economia da água passa a ser de extrema importância nesta época de estiagem.

Veja abaixo dez dicas de como utilizar os recursos com consciência:

1- No banho: feche o chuveiro quando estiver se ensaboando e só abra para enxaguar. O consumo cairá de 180 para 48 litros.

2- Ao escovar os dentes: escove os dentes e enxágue a boca com a água do copo. Economize 3 litros de água.

3- Na descarga: verifique se a válvula não está com defeito, aperte-a uma única vez e não jogue lixo e restos de comida no vaso sanitário.

4- Na torneira: uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros/minuto. Pingando, 46 litros/dia. Isto significa 1.380 litros por mês. Feche bem as torneiras.

5- Vazamentos: um buraco de dois milímetros no encanamento desperdiça cerca de três caixas d’água de mil litros por dia.

6- Na caixa d’água: não a deixe transbordar e mantenha-a tampada.

7- Na lavagem de louças: lavar louças com a torneira aberta o tempo todo, desperdiça até 105 litros. Ensaboe a louça com a torneira fechada e depois enxágue tudo de uma vez.

8- Regar jardins e plantas: no inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã ou à noite. Use mangueira com esguicho-revólver ou regador.

9- Lavar carro: com uma mangueira gasta 600 litros de água. Só lave o carro uma vez por mês, com balde de 10 litros, para ensaboar e enxaguar. Para isso, use a água da sobra da máquina de lavar louça.

10- Na limpeza de quintal e calçadas use vassoura: se precisar utilize a água que sai do enxágue da máquina de lavar.

FUPAC LEOPOLDINA